Construção Civil: Prevenção da pandemia por COVID-19

A tarefa principal do Coordenador de Segurança e Saúde na Construção (CSSC) é identificar os riscos habituais e específicos, coordenar as medidas coletivas de segurança, organizar o acompanhamento da implementação das medidas para garantir a eficácia e, se for necessário, melhorar as medidas.

Portanto, o CSSC , na situação atual da pandemia de CoVid-19, está especialmente indicado para contribuir com propostas essenciais para a proteção da saúde do pessoal dos estaleiros das obras.

Os riscos adicionais de estaleiros das obras, em comparação com a maioria dos outros locais de trabalho, podem ser identificados como:

• Muitas empresas no local de trabalho

• Trabalhadores com mudança de local de trabalho

• Viagens muito frequentes (e travessias de fronteira) da residência para o local de trabalho

• Salas e equipamentos sociais temporários e geralmente provisórios

• Discrepância cultural dos padrões de higiene

Risco específico de infeção pelo COVID-19 resulta de:

• Trabalhador oriundo de regiões com risco acrescido de infeção

• Dispositivos de higiene insuficientes e comportamento higiênico inadequado dos trabalhadores

O ISHCCO (Organização Internacional de Coordenadores de Segurança e Saúde na Construção) recomenda que o/a CSSC defina um foco para esses principais riscos:

– Trabalhadores oriundos das zonas de risco ou infetadas:
Identificação e inibição da presença no local

– Dispositivos de higiene insuficientes:
Fornecimento de lavatórios suficientes (água, sabão e toalhas de papel)

– Salas demasiado pequenas para os trabalhadores:

Provisão de salas amplas e suficientes para garantir a distância recomendada entre as pessoas, principalmente em horários de folga e nos períodos de alimentação. Como o CSSC é responsável por ter em consideração as recomendações nacionais e por integrá-las nas medidas internas das empresas.

Fonte: ACT – Autoridade para as Condições de Trabalho